TAPAMPO IKPENG

Tapanpo nasceu em 1982 na aldeia Txicão. É filho de Arinka e Yawala Ikpeng. Quando era criança gostava de brincar com seus amigos, fazer cabana, caçar passarinho e pescar. Maiorzinho, acompanhava seu pai para aprender a construir casa, gostava de ouvir as histórias antigas dos Ikpeng que seu avô e sua avó contavam. Com onze anos foi tatuado e teve suas orelhas furadas no ritual Moyngo, de iniciação das crianças. Aprendeu as regras que deve respeitar durante todas as etapas da vida até ficar velhinho. Desde menino sempre quis estudar e entrou na escola no mesmo ano em que foi iniciado. Naquela época a professora era branca e com ela aprendeu a ler e escrever em português. Alguns anos mais tarde foi criada a escola indígena diferenciada, onde passou a estudar sua língua, além de matemática, ciências, história e geografia, com professores Ikpeng. Apresentou sua monografia sobre o estudo dos peixes “Wot Mïrang” e se formou no ensino fundamental. Foi indicado pela sua comunidade para trabalhar com produção de mel e manejo. Hoje faz parte da equipe dos agentes ambientais. Em 2008, quando começou o projeto da Mawo – a Casa de Cultura Ikpeng, Tapanpo se candidatou para fazer parte da equipe de áudio e então participou da oficina de formação e da gravação do CD Yumpuno Eremrï , coletânea de cantos do ritual de tatuagem das crianças. Na Mawo integrou o grupo que está se formando para alimentar a Base de Dados digital da cultura Ikpeng. Quer também contribuir com a gestão do site. Tapanpo é casado com Kuripo Ikpeng e tem quatro filhos: Payawo, Arinka, Yawala e Akari.

Foto: Tania Anaya